quarta-feira, outubro 05, 2011

O Grito.

O silêncio de ti enche essa casa
O vazio na cama queima a alma
A tristeza de perde-te invade
Então o poeta chora de saudade.

Não deixarei que morra o desejo
De selar nosso amor com um longo beijo
Poder ver os teus olhos tão lindos
Como o sol no horizonte vem surgindo.

Faço dias as noites mesquinhas
Que de ti me separam então sofro
Como um poema apenas um rascunho
Nas estrelas do céu vejo teu rosto.

A saudade do poeta é infinita
No silêncio da noite ele Grita
Como alguém que pede pra morrer
Sua alma amordaçada num canto fica.

Pobre poeta Silenciosamente fala
As paredes não responde ele se cala
Aceitarei o destino a mim doado
De sofrer terei os pecados perdoados.

Tere Cordeiro
05/10/2011.




Um comentário:

Diva L. disse...

Nossa, ler essa pérola com essa seleção musical,quase choro.
Nem sei o que comentar. A beleza dos versos são apenas para sentir...

Continua escrevendo, tá?! O mundo precisa de pessoas com tamanha sensibilidade.

Bjo grande e abraço na alma.
Diva L.