sexta-feira, outubro 02, 2015

quinta-feira, julho 09, 2015


Um sonho sonhado
Que nasça um amor infindo
Um amor trazido pelo vento
Vento esse, 
Que acalme a tormenta
Que suavize os corações
Um amor sonhado por mim
Assim,
Como a existência do universo
Que seja trazido pelos versos
Que os poetas consigam desvenda-los
Há esse amor,
Que vive em meus sonhos
Seria devaneios meus?
Que esse amor, 
penetre no mais profundo do meu ser
Como o sangue que corre em minhas veias
Igual, o pensamento
Semelhante ao firmamento
Talvez um amor inexplicável
Ou quem sabe?
Eloquente,
Desejo que esse amor
Renasça em você
Em mim,
Ou simplesmente permaneça profundamente
Em- meus sonhos- sonhados.
Terê Cordeiro, 09/07/2015.

quinta-feira, dezembro 25, 2014

Venho aqui especialmente para desejar um Lindo Natal para todos meus seguidores, que Deus abençoe vocês....

segunda-feira, março 24, 2014

Uma solidão.

Pela a solidão!

Pedi para o vento me trazer flores.
Enquanto vivo.

Somente flores.

Terê Cordeiro.

sexta-feira, fevereiro 14, 2014




Simplicidade.

Sua simplicidade é poética
Assim me disseram um dia
Pensei que fosse ofensa
O que a pessoa dizia
Descobri que o quesito
Era a própria poesia.

Como não falar de flores
Se até a chuva é poética
Trazendo uma leve brisa
E um poema começa
O vento fala comigo
Que diz, a vida é uma festa.

Me chamo simplicidade
Sou amante do modesto
Sentindo o cheiro da chuva
Logo um poema começa
Não conhecer a inveja
Por não ser lindos meus versos.

Não me envergonho de nada
Sim ,sou, feliz assim
Ser simples não é defeito
A você que rir de mim?
Aqui vai o meu recado
Quer ser feliz, seja assim.

Ter um coração aberto
Independe de ser culto
Sendo gentil vamos longe
Jamais o outro insulte
Nem precisa ser um monge
Mas se necessário, o consulte.
Terê Cordeiro.

quarta-feira, janeiro 01, 2014

segunda-feira, outubro 21, 2013

Devaneios do Poeta

Poeta não é fingidor
Quando se fala de amor
Ele é apaixonado
Igual abelha e a flor
Faz canções a sua amada
Como um bom conquistador.

Poeta e seus devaneios
Ver a vida sempre bela
Olhando pela varanda
O rosto de uma donzela
Talvez só ele a veja
Pois vive pensando nela.

Sua dor deveras sente
Quando seu coração sangra
Seus devaneios são tantos
Tornando sua dor em canto
Mas o poeta incansável
Faz da tristeza encanto.

E assim nas rodas da vida
Gira para entreter a razão
Das mais belas aleluias
Elimina a escuridão
Preserva sua essência
Seu lema é gratidão.

Poeta quero ser um
Para enfeitiçar a lua
Fazer pedido as estrelas
Que ilumine rua
Abraçar o sol de perto
Dizendo,sou toda sua.


21/10/2013.
Terê Cordeiro