sexta-feira, outubro 07, 2011

Desabafando ao papel

As vezes me pergunto
porque falo de tristezas
se o sol é tão brilhante
e a Lua é só beleza.

Tento sim ser mais alegre
mas as nuvens vem depressa
escondendo as estrelas
para que eu não possa vê las.

Ficam perguntas sem respostas
soltas no grande universo
palavras sem nenhum valor
como as que escrevo em meus versos.

Versos muito trabalhados
em meu pequeno saber
com prazer pego meu Lápis
para poder escrever.

Só assim me realizo
desabafando ao papel
porque o destino é amargo
mistura de mel com fel.

Sei que um dia mudará
tudo que começa finda
e cantarei para o mundo
canções ainda mais lindas.

Uma canção de amor
que responda as perguntas
que fale do belo sol
das estrelas todas juntas
da lua que brilha a noite
no dia não aparece
para os que são solitários
só brilha pra que merece.

Tere Cordeiro.
07/10/2011.

6 comentários:

ANGEL disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ANGEL disse...

Terê o maior encantamento de um poeta, poetisa é ver o fruto do que escreve...E você está bem demais, amiga! Vitórias e vitórias para a sua história...

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Terê.

Me identifiquei com muito, desse poema.

Que Deus lhe dê muitas alegrias e paz.

Beijos.

Ivana disse...

Terê,
Quanta humildade num poema feito com tanta sensibilidade, muito bonito. Obrigada pelo carinho.

M@ria disse...

Daqui a alguns anos estará mais arrependido
pelas coisas que não fez do que pelas que fez.
Solte as amarras! Afaste-se do porto seguro!
Agarre o vento em suas velas!
Explore! Sonhe! Descubra!

(Mark Twain)

Beijos & Flores.....M@ria

marciagrega disse...

Belíssimos versos!

Uma boa semana!