terça-feira, novembro 30, 2010

CALMA APARENTE!


Noite calma, mas sem luar!
céu nublado, calma aparente
rua vazia, meio sem espírito
mente inquieta, noite deserta.

Coração doendo, no frio do calor!
corpo suado, por falta de amor
pouca saliva, falta alimento
alma arredia, pelo tormento.

Vida abalada, por não ter nada!
dias pequenos, afazeres fartos
emoções ativas, a flor da pele
a dor doendo, como um parto.

Solitária madrugada, minha companheira!
antes do sol, sempre a primeira
logo depois, da claridade
o amanhecer, trás a paridade.

Abro os braços, agradecendo!
visão mais linda, o dia amanhecendo
para a labuta, nos convidando
chega o sol, nos abraçando.

autoria: terê.30/11/2010.

9 comentários:

Marilu disse...

Querida amiga, vamos abraçar e dizer Bom Dia ao SOL. Beijocas

Nas Asas da Poesia disse...

"Não procure felicidade dentro de outro ser humano e sim dentro do seu próprio coração.
Muitas vezes ela está tão perto que não conseguimos enxergá-la, pois o essencial é invisível aos olhos".

(Autor desconhecido)

Beijos e meu carinho.........M@ria

Silviah Carvalho disse...

Muito lindo mesmo o poema, lindo dia pra você.

ValeriaC disse...

Lindo poema querida e deixa o Sol entrar... beijinhos
Valéria

Edna Lima disse...

Belo poema amiga. Parabéns.
Uma noite calma e cheia de amor pra você.
Bjs Edna.

Machado de Carlos disse...

Contemple as flores; elas farão bem a você.
As flores, nos campos são assinaturas da Presença Divina. O lírio encantam com seu nobre perfume, pois também são letras das mesmas assinaturas!

Obrigado pelo comentário!

Beijos!...

armalu disse...

è assim Tere a vida tem coisas assim eu conheci o céu para ser largada no inferno, beijo amiga

REGGINA MOON disse...

Tere minha querida!

Já me senti assim muitas vezes, com aquela aparente calma que temos de ter as vezes...

Lindo verso!!!

Um beijo....

Reggina Moon

**Retire no Blog Verso & Prosa 3 selinhos em destaque pra voce...

Mila Lopes disse...

Linda sua poesia Tere!
Parabéns!

Bjinhos

Mila