terça-feira, maio 01, 2012

Noites nostalgicas

Ainda aquela nostalgia
que a muito não sentia
envolve meu corpo e mente
de minha alma judia.

Em noite fria nostálgica
vem Lembranças do passado
há meia noite o poeta
a solidão se destaca.

A poetiza também sofre
em noites de solidão
assim vão passando os dias
e as lembranças se vão.

Minha musa inspiradora
essa noite de garoa
fria mais encantadora
venha  com noticias boas.

Vem madrugada boemia
despertar e traga um novo dia
tira-me a solidão
leva essa nostalgia.

Terê Cordeiro.

7 comentários:

Elen Abreu disse...

Oi!
Adorei o poema, madruga dói quando sozinha se está, mas graças ela nos faz um belo poema criar.
Beijos querida.
Música linda essa, até.

mundo da lua disse...

Toda madrugada nasce um poema alguns morrem horas depois
Outros resistem crescem fortes e belos como o seu.

Rafael Bernardino disse...

Vivi muitas madrugadas vazias, a espera dela, do meu amor...

Essas madrugadas vividas até hoje me proporcionam poesias.

E é ótimo ler outras poesias que me toquem o coração, assim como essa sua. Adorei!

ANGEL disse...

Uma linda noite nostálgica! A medida da lembrança é saber que a solidão apesar de ter vários caminhos...Chega sempre em algo que valeu à pena!

Um abraço poético!

La Gata Coqueta disse...



Deseo pases un muy buen fin de semana
Y hago lo posible para que vuelen hacia ti
Estos mis sentimientos…
En los ojos una sonrisa por simpatía
En los labios un beso por valentía
Y en el corazón un abrazo mimoso por garantía

María del Carmen


Maria disse...

Querida amiga por vezes a noite traz a nostálgia que vêm devagarinho inundar o nosso coração.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria

LUCIENE RROQUES disse...

Ah, a solidão nostalgica, tema mais que fascinante para poesia, afinal os sentimentos, são sempre peculiares de nostalgia.
Linda poesia.
Um grande abraço!