sábado, junho 04, 2011

Poema confuso...


Falar de um amor que cura
que salva que ama
falar de um amor fraterno
que também perdoa
que manda flores
em qualquer dia
sem precisar de datas especiais
um amor que tira dores.

Um amor que cheira a chuva
que tem o sabor de uvas
que os amantes conhecem
esquentando o pé gelado
estando de qualquer lado
ele é vibrante e gostoso
amor quem me dera amor
para amar e ser amado.

As plantas se contentam com o orvalho
os animais também querem afeto
adolescentes paixão doida
idosos amizade pura
nossa casa dedicação
mas essas combinações
depois de juntas tem uma força
de amor no coração.


Amor cúmplice amor
está abandonado em esquinas esquecido
vencido pelo o tempo
pelo cansaço
pelo descaso pelo desuso
por muito confuso.

poema confuso por falta de assunto
por não receber amor ficou surdo mudo
desprezado pelo o mundo
sarcástico
poema sem lema
 sem versos sem rumo.

Terê cordeiro.04/06/2011.

9 comentários:

Borboleteando disse...

Simplesmente belo!!!!
Beijos, lindo domingo querida

Borboleteando disse...

gostaria do seu endereço do MSN, se for possível...

REGGINA MOON disse...

TERE,

...UM POEMA EXATAMENTE COMO O AMOR...ADOREI!!!PARABÉNS POETISA...

Amor cúmplice amor
está abandonado em esquinas esquecido
vencido pelo o tempo
pelo cansaço
pelo descaso pelo desuso
por muito confuso.

Lindo!!

JÁ ESTAVA COM SAUDADES...

BEIJOS E BOM DOMINGO,

REGGINA MOON

M@ria disse...

Saudade
é trazer para dentro do peito
o que deveria estar
ao alcance dos olhos.

Lou Witt

Beijos na alma e coração...M@ria

Amor feito Poesia disse...

Cada dia que de presente recebemos
É mais um sonho que temos
De ver o sol para todos brilhar
Neste universo nos dado para amar.

Ataíde Lemos

Feliz Semana...Beijos meus! M@ria

Maria disse...

Lindissimo poema.
Boa semana
Beijinhos
Maria

ValeriaC disse...

Tere minha querida...adorei o seu poema...ficou fascinante...
Boa semana...beijinhos...
Valéria

ANGEL disse...

Muito lindo! E daqui destaco o que torna-se mais real, o que é uma pena, amiga:

"Amor cúmplice amor
está abandonado em esquinas esquecido
vencido pelo o tempo
pelo cansaço
pelo descaso pelo desuso
por muito confuso."

Tudo de bom e saudades!!

Socorro Melo disse...

Oi, Terê!

Poema confuso, lindo, cheio de verdades. Adorei.

Um abraço
Socorro Melo