domingo, abril 17, 2011

MANHÃS DE OUTONO.


Um amor sem culpa
nas manhãs de outono
ardentes paixões
não há abandono.

Diante da lua
serei toda tua
como testemunhas as estrelas
em uma noite nua.

Paixão adolescente
amor envolvente
de quem não tem medo
sem guardar segredo.

Vem pois de ti preciso
amor sem juízo
deixo a porta aberta
qualquer hora é certa.

Para sempre é muito tempo
nunca é longe demais
Meu coração está pedindo amor
vem me dá um pouco de paz.

Nos verdes campos te amando
nos campos verdes vivendo
na vida inteira entendendo
que o amor sempre é belo.

Terê cordeiro
17/04/2011.

2 comentários:

Mgomes - Santa Cruz disse...

Tere: Lindo Poema de amor, essa palavra mágica que anda sempre na nossa boca e que dá para escrever milhares de poesias.
Beijos
Santa Cruz

Silviah Carvalho disse...

Um poema de amor muito lindo.Parabéns.