sábado, abril 02, 2011

liberdade.


Escrevendo esse poema
para me desvencilhar
das algemas que me prendem
me impedindo de amar.

Algemas da ignorância
da falta de aptidão
para descrever o belo
vindo lá do coração.

É mais fácil enxergar
o defeito que a virtude
essas malditas algemas
nos deixam em inquietude.

O não saber o não ver
um fala outro responde
a falta de entendimento
algemas esta é teu nome.

Um dia me livrarei
das amarras que me trancam
e gritarei eu te amo
sorrindo como criança.

Só assim serei liberto
de conceitos e préconceitos
banais e sem importância
e quem sabe? sou aceito.

Terê cordeiro.
01/04/2011.

3 comentários:

Dani disse...

Né!

ANGEL disse...

Terê, amiga! Que delícia de poema! Daqui destaco:
"Um dia me livrarei
das amarras que me trancam
e gritarei eu te amo
sorrindo como criança."

BFS!! Bjos...

O tempo que passa disse...

Olá Tere!
Obrigado pela visita e pelo comentário.
Este seu poema também me sensibilizou bastante, por se ajustar ao meu estado de alma.

Será que um dia me liberto?

Um beijo