segunda-feira, novembro 01, 2010

Oh tempo ingrato!


Soneto para o tempo!
que passou depressa
deixando saudade
de nossa amizade
nosso grande amor
você foi embora
sem tempo e sem hora
matou-me por dentro
tirou-me o momento.

Sem se despedir!
nem tempo se deu
como quem morreu
deixando um vazio
em noite de frio
sozinha fiquei
chorando baixinho
ninguém me embalou
a noite mais fria ficou.
 
sem ter piedade!
com muita agonia
nessa noite fria
o quarto escuro
só tinha lembranças
nenhuma esperança
de te ver de volta
feixou-se a porta
para sempre se foi.

Oh tempo ingrato!
levou minha alegria
para longe um dia
sem me avisar
fiquei a chorar
e o tempo passou
e nunca voltou 
e nem voltará
a lembrança sempre ficará...
autoria: tere.01/11/2010.

4 comentários:

Diva_Kakau disse...

Lindo,lindo, amei!!!
bjo!!!

Anônimo disse...

Ter amigo é comentar a vida
“Ser só” é não apostar em nada
É não ter uma história
É morrer antes da vitória.

Ter amigo é comício existencial
É ser convidado para dividir bolo…
Assistir futebol, gritar vaias, festejar o gooool
Ser só é negar o próprio sol
É não sair pelas ruas, é fingir que não existe lua.

Se pulasse esta fase, não existiria a proliferação,
Morreria as abelhas, e nós não conheceríamos o mel.
O beija flor não teria alimento,
A primavera não pediria vasos.
Os frutos não conheceriam sua mãe!!!

Diamantino

Edna Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edna Lima disse...

Belíssimo poema .
Sempre amamos e também perdemos.
O vazio fica cheio de saudade.
Bjs Edna